Post Content

Meninas, trago hoje para vocês a entrevista com a estilista da queridinha marca de vestidos de noiva Pronuptia. Com vocês, Elizabeth Barboza!

Abaixo, matéria na íntegra.

Confiram!!!

 

 

Por que você se tornou estilista?

E.B. A moda e a costura sempre foram algo natural para mim, porque minha mãe costurava em casa. Nós somos uma família de quatro filhos e as necessidades levaram nossa mãe a fazer ela mesma nossas roupas. Por isso, eu sempre estive no meio de linhas, agulhas e pedaços de tecido. Muitas vezes eu pegava os pedacinhos que sobravam para vestir minhas bonecas… E eu adorava fazer isso. Também sempre fui apaixonada por desenho. Por um tempo eu desejei ser professora de desenho, mas eu vi que apenas ensinar não me satisfaria por completo, então, eu acabei trilhando o caminho da costura.

 

Fale-nos de sua formação profissional.
E.B. Eu estudei por bastante tempo. Cinco anos no total. Fiz três anos de formação industrial para conhecer a fundo tudo o que pode fazer parte (do começo ao fim) de uma roupa, dentro da linha de montagem. Depois, como ainda não estava satisfeita, me direcionei para a costura, quando estudei dois anos na Escola Sindical da Alta Costura Parisiense.

 

Como foi o início de sua carreira?
E.B. Trabalhei com tudo um pouco. Mais intensamente com o prêt-à-porter. Também passei pelas roupas esportivas, desenhei maiôs e sapatos. Ao mesmo tempo em que tudo me interessava, tinha a sensação de ainda não ter encontrado o que realmente queria. Algo que me fizesse sentir realmente à vontade.
Até que um dia conheci um lindo rapaz que me pediu em casamento. Neste momento tive vontade de fazer meu próprio vestido. Quando iniciei esta aventura, achei tudo tão extraordinário que nunca mais tive vontade de parar.

 

Você trabalha para Pronuptia há quanto tempo?
E.B. Há 19 anos.

 

Como você sente a evolução da marca desde então?
E.B. A evolução é enorme! Mesmo que a Pronuptia sempre tenha sido uma marca de vanguarda e mesmo que estejamos no mercado de vestidos de noiva, a empresa nunca para de evoluir. Nós sempre estamos um passo à frente, buscamos o tempo todo a criatividade. Tentamos despertar o desejo das noivas. Nos materiais usados fica mais difícil de criar, pois parece que o setor de casamentos continua um pouco fechado neste sentido, mas nós tentamos trabalhar verdadeiramente criando nos modelos e nas formas.

 

Como funcionam as tendências para o mercado de vestidos de noiva?
E.B. Não muda muito, mas mesmo assim podemos dizer que na França nós tivemos algumas grandes tendências nos últimos tempos, como o uso de cores fortes como o bordô, muito presente por pelo menos 10 anos. Depois vieram o marrom e tons de bronze. Desde uns quatro ou cinco anos esta tendência está perdendo velocidade e vemos nos vestidos de alta costura o marfim ou o off-white, que são cores bem mais naturais.
Sobre inspiração, na rua, em um parque. Nós podemos encontrá-la em todos os lugares. Em um quadro, numa árvore, uma flor ou até o movimento da cauda de um animal pode nos inspirar.

 

E como se determina a moda para um vestido de noiva?
E.B. São coisas que sentimos, que vemos na moda de todos os dias, nas ruas, como disse. Percebemos cores e formas que são uma grande influência na moda normal e, sempre que possível, usamos na moda noiva também.
Se vemos que as moças começam a usar vestidos de musseline, passamos a usar esse tecido em vestidos de noiva. Em 2013 a tendência são os vestidos de silhueta reta com cauda longa e também os vestidos que marcam a cintura, com saias de volume espetacular.
A próxima coleção vai depender do gosto das clientes. Sempre existe modelos que se vendem mais que outros. Se o vestido estilo sereia vendeu menos, por exemplo, é um alerta que devemos mudar um pouco este estilo.

 

Como é a sensação de criar o vestido mais importante da vida de uma mulher?
E.B. É emocionante! Já aconteceu de eu passar na frente de uma igreja e ver que a noiva está usando um modelo meu. Digo a mim mesma: – Fui eu que fiz! Por outro lado, o mais difícil é ir a um casamento onde todo mundo sabe que foi você que criou o vestido. Eu me sinto como uma atriz no palco, onde todo mundo me olha… Mas é muito bom ver que as pessoas amam meu trabalho.

 

Quando você desenha um vestido, já pensa se o mesmo pode servir para uma noiva francesa ou brasileira, por exemplo?
E.B. Quando eu crio alguma coisa eu penso internacionalmente. Claro que estamos atentos ao que se passa em outros países! Perguntamos a nossos compradores o que os clientes disseram de nossa coleção, para poder, talvez, mudar detalhes, mas normalmente as criações são internacionais.

 

Deixe uma pequena mensagem para as noivas brasileiras.
E.B. Para mim, o vestido ideal para uma mulher é aquele que vai lhe causar uma grande emoção quando ela se olhar no espelho. O coração batendo, a garganta apertada.
Desejo meus melhores votos de felicidade para as moças que encontraram os homens de suas vidas e também os vestidos de suas vidas, é claro!

 

E ai meninas, gostaram???

 

Aguardo seus comentários!

 

Até a próxima!